MÉTAMORPHOSE LILAS CUIR UNISEX by PERFUMART BRAZIL (in portuguese)

MÉTAMORPHOSE LILAS CUIR UNISEX, DE NADIA Z

Perfumart - resenha do perfume Nadia Z - Metamorphose Lilas Cuir

A fragrância de Métamorphose Lilas foi criada em 2014 em duas versões distintas: uma diurna (Day) e mais voltada para o público feminino e outra noturna (Night), concebida para ambos os sexos. Em 2015, a perfumista lançou mais duas versões sob o mesmo tema: Métamorphose Lilas Cuir (unissex) e Métamorphose Lilas Pink (para mulheres).

No caso desta versão, ela está inserida na coleção Ecosystems – Silk Road Garden e retrata o cheiro de corpos amorosos e almas pulsantes, através da característica única da nota de couro, muito sensual e animalesca.

O conceito criativo trabalhou sobre o erotismo, o contato da pele com a pele, a plenitude dos amantes. E a fragrância de Métamorphose Lilas Cuir possui notas de lilás e tuberosa, buchu da África, mel, cera de abelhas, fava tonka, oud, vetiver, resina Omumgorwa, Strawberry Gum e Hyraceum, além do óleo de Ximenia.

Para quem não sabe, o Buchu (Agathosma betulina) só pode ser encontrado na África do Sul e seu óleo possui um cheiro forte de groselha fresca; a Omumgorwa é uma resina que só se forma depois que uma espécie de árvore morre naturalmente. Tem cheiro de tâmaras maduras e tende a ganhar nuances de caramelo, com o passar dos anos; a Strawberry Gum (goma de morango, em tradução literal) é produzida de uma espécie de eucalipto (Eucalyptus olida), que só é encontrado na Austrália e está ameaçado. Diferente dos outros tipos de eucalipto, o óleo produzido a partir de suas folhas tem cheiro doce, fazendo lembrar um misto de morango, banana e canela; o Hyraceum é o excremento petrificado da Procavia Capensis (também conhecida como Rock Hyrax), composto por fezes e urina e cujo aroma possui elementos que combinam o cheiro da civeta, do castóreo, do almíscar e até do tabaco; a Ximenia é conhecida como ameixa azeda africana, cujo óleo tem consistência de mel e ajuda a prolongar a duração do perfume.

Na pele, Métamorphose Lilas Cuir me surpreendeu com um dos acordes de couro mais bestial que já senti. Não, não estou falando de um couro mais seco em meio a tantos acordes de couro da perfumaria, que lembram botas ou jaquetas macias ou, até mesmo, o cheiro do estofado de um carro novo. Aqui, o cheiro de couro é quase salgado, como um couro que é defumado junto com alguma parte animal.

Cheiro de tâmaras ou da tal goma que lembra morangos? Nem pensar! Desta vez, a perfumista deu um passo adiante e criou o cheiro do “after party” (pós-festa) de quem estava usando Métamorphose Lilas Night. Aqui, temos o cheiro de quem já dançou, já bebeu e agora vai terminar a noite de forma tórrida, nos lençóis de uma cama (ou, quem sabe, sobre a mesa de jantar). O hyraceum dita as regras e o resto complementa. A perfumista o define como frutal-acourado, amadeirado e ambarado. Eu o considero acourado, com um acorde que eu chamaria de sensual-feromônio e cheio de nuances de tabaco durante a evolução.

Em termos de DNA, já que estamos falando de uma espécie de flanker, eu diria que tem maior ligação com a fragrância de Métamorphose Lilas Night. Projeta muito, se comporta de forma linear (sem grandes surpresas) e possui ótima durabilidade na pele. Sinceramente, não vejo uma abordagem tão unissex, mas muito masculina, cheia de virilidade.

Métamorphose Lilas Cuir não é o tipo de perfume para quem apenas simpatiza com notas de couro. É para quem ama fragrâncias desse estilo e acha que já viu de tudo nessa família e que mais nada irá surpreender.